Páginas

A PRAÇA DA VERGONHA EM SÃO JOÃO DEL REI

O que parecia ser algo muito simples, virou um absurdo, para não dizer uma vergonha. O prefeito Helvécio Reis, na administração anterior, iniciou a reforma das Praças dos Andradas e dos Expedicionários e desistiu de concluí-las, deixando-as arrebentadas. A administração Nivaldo retomou as obras em 29 de junho deste ano, com previsão de entrega em 29 de dezembro. Durante os últimos cinco meses o que se viu nesta obra, orçada em mais de 260 mil reais, foi a recolocação das pedras nas passarelas da Praça dos Andradas. A população, que ficou privada de utilizar a praça durante este período, ainda teve que conviver com o descaso dos passeios que ficaram destruídos, criando transtorno aos usuários do serviço de transporte público e dificultando a locomoção das pessoas no local.






O Chafariz da Legalidade ou Chafariz dos Arcos é um chafariz instalado na Praça dos Andradas, em São João del-Rei, Minas Gerais[1]. Construído no ano de 1834 no Largo do Rocio, hoje Largo Tamandaré. Recebeu a denominação de Chafariz da Legalidade em decorrência da Vila de São João del-Rei ter sido a capital da Província de Minas Gerais de 5 de abril a 22 de maio de 1833, no âmbito da Revolta do Ano da Fumaça, mas o nome popular foi Chafariz dos Arcos. O Chafariz da Legalidade e todo o aqueduto de tijolo e pedra, foram demolidos em 1895 por deliberação da Câmara Municipal, em sessão de 10 de abril de 1895. Depois de alguns anos demolido, foi reconstruído, sem o aqueduto, na atual Praça dos Andradas.


Compõe o conjunto arquitetônico do local a antiga Casa da Intendência, onde hoje existe a Escola Estadual Maria Tereza. Intendência, era um órgão administrativo colonial que era subordinado diretamente à Coroa e tinha várias funções como: fiscalizar, estimular, administrar, cobrar impostos, distribuir datas e demarcar terrenos auríferos, ou seja, todo lugar que tivesse extração de ouro, era obrigado criar uma Intendência. 

O Conjunto Arquitetônico é tombado pelo IPHAN e registrado no livro de Belas Artes.

Ainda aguardando a reforma está a Praça dos Expedicionários inaugurada em 22 de maio de 1969. O Monumento ao Expedicionário homenageia os integrantes da Força Expedicionária Brasileira – FEB. O autor do projeto foi o arquiteto e artista plástico Jacob Korman e sua construção sob a responsabilidade de José Manuel Esteves. A escultura do soldado em bronze que ornamenta este monumento, simboliza a bravura do combatente brasileiro.


Antiga vista da Praça dos Andradas, em São João del-Rei - MG, onde, à direita, ainda se vê intacto o casarão da família do fotógrafo André Bello.


Imagens do local e suas transformações ao longo do tempo.